APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

DOE MENSALMENTE PELO CATARSE

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias
Notícias

"A quebrada quer paz": Moradores de Paraisópolis fazem marcha após morte de nove pessoas

Image

Por Redação | 02.12.2019

Publicado em 02.12.2019 | 0:11 | Alterado em 08.12.2019 | 21:03

RESUMO

Ação mobilizou via dos bairros com gritos de ordem em pedido de paz e justiça; mortes ocorreram após ação da PM na região

Tempo de leitura: 1 min(s)

Centenas de moradores de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo, protestaram na noite deste domingo (1°), após nove pessoas terem morrido, depois de uma ação da Polícia Militar na região do baile funk da 17. A ação policial terminou em tumulto e, na correria, pessoas foram pisoteadas. 

Estima-se que 5.000 pessoas estavam no baile quando a confusão começou. Imagens gravadas por moradores mostram policiais encurralando jovens e agredindo durante a operação. Alguns relatam que o clima tenso se acirrou nas últimas semanas após a morte de um policial. 

Gritos como “A Quebrada Quer Paz”. “Chega de opressão”, “Justiça”, marcaram o ato que também teve críticas ao governador João Doria (PSDB). A Secretaria de Segurança Pública afirma que a operação começou após dois motoqueiros terem trocado tiros com os policiais e fugido para a região do baile. 

Na manifestação, moradores levavam cartazes e cruzes, em referência às mortes. Também foi feito um minuto de silêncio e uma oração. Motociclistas fizeram ainda um buzinaço. 

Os moradores também entoaram o Rap da Felicidade, música tradicional das comunidades. “Eu só quero é ser feliz e andar tranquilamente na favela em que eu nasci, e poder me orgulhar e ter a consciência que o pobre tem seu lugar”

Mais cedo, a página de Paraisópolis no Facebook publicou um texto em solidariedade aos familiares. “Não aceitaremos calados, exigimos justiça com a punição dos culpados. Paraisópolis e as comunidades precisam de ações sociais para enfrentar suas dificuldades, mais do que remediar, precisamos prevenir. CHEGA de violência, queremos paz”.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.