APOIE A AGÊNCIA MURAL

Colabore com o nosso jornalismo independente feito pelas e para as periferias.

DOE MENSALMENTE PELO CATARSE

OU

MANDE UM PIX qrcode

Escaneie o qr code ou use a Chave pix:

30.200.721/0001-06

Agência de Jornalismo das periferias

Por: André Santos

Notícia

Publicado em 03.08.2022 | 10:11 | Alterado em 08.08.2022 | 13:58

Tempo de leitura: 3 min(s)

Morador de Sobradinho, no distrito do Tremembé, extremo norte de São Paulo, o chef Bruno Athaíde, 32, se classificou para a etapa nacional do Festival Enchefs Brasil 2022. A competição concede o Prêmio Dólmã ao vencedor e o título de “Chef Embaixador”, uma espécie de honraria dada pela organização do concurso.

O cozinheiro garantiu a vaga em junho deste ano ao vencer a etapa estadual disputada em Cravinhos, no interior do estado, e agora vai para a finalíssima em Macapá (AP), na região norte do país. Na ocasião, Bruno preparou para a banca de jurados o prato que já é sucesso na quebrada onde vive: o baião de dois.

“O azeite de dendê é da Bahia, a manteiga de garrafa vem de Minas Gerais e o coentro que dá aquele frescor é da Ásia, ou seja, é uma explosão de sabores”, explica ele. A escolha deu certo e os jurados lhe deram o primeiro lugar.

“Fui com a maior confiança do mundo, sabia que ia ganhar ou ficar em segundo. Se os outros podem [vencer], por que eu não posso? Temos sempre que confiar em nós mesmos”, comemora.

Com baião de dois como carro-chefe, ele vai disputar a etapa nacional do Festival Enchefs Brasil @André Santos/Agência Mural

Até chegar a este momento, entretanto, ele percorreu um longo caminho. Começou como stewart (ajudante de cozinha) e ficava admirando o trabalho dos cozinheiros. Um dia perguntou a um deles o que deveria fazer para se tornar um chef e a resposta padrão foi: “tem que estudar muito”. Foi o que ele fez.

Se matriculou no curso de gastronomia na Faculdade Anhanguera e conseguiu emprego num restaurante no Itaim Paulista, na zona leste da capital, onde desenvolveu a receita do baião. Atualmente desempregado, teve que trancar o curso faltando apenas seis meses para o término, mas planeja concluí-lo em breve.

A etapa final do Festival Enchefs Brasil ocorrerá presencialmente entre os dias 10 e 12 de agosto, e contará com um fórum gastronômico e workshops com chefs premiados. A votação é feita online, na qual um chef de cada estado será premiado.

Para viajar até o Amapá, Bruno enfrentou o primeiro obstáculo: a falta de dinheiro. Diante da situação, ele teve a ideia de vender marmitas de baião de dois aos fins de semana para arrecadar fundos para as passagens e a hospedagem.

O ponto de venda fica na praça do bairro, no canteiro da avenida Barão Carlos de Sousa Anhumas, entre as ruas André Majer e Ramon Freire Serrano. No primeiro sábado de ação, foram vendidas 30 marmitas. “Deu muito certo. Se Deus quiser, vou vender muitos e muitos”, comenta.

Marmitas de baião de dois são vendidas em praça do bairro Sobradinho, na zona norte @André Santos/Agência Mural

Essa é a segunda vez que ele busca participar do festival. Em 2021, a inscrição dele não foi aceita porque o prazo já havia se encerrado. Agora, em 2022, o chef tratou de seguir os perfis dos organizadores (Instituto Multidisciplinar e Festival Enchefs Brasil) nas redes sociais e foi avisado assim que as inscrições foram abertas.

Para o cozinheiro, vencer o prêmio e se tornar um Chef Embaixador seria fundamental para alavancar alguns sonhos dentro da profissão, como dar palestras, workshops e ensinar moradores do bairro a cozinhar.

“Quero abrir um espaço aqui para ensinar os jovens, e todos que tiverem interesse, a trabalhar com comida”, diz ele, que também tem o desejo de abrir o próprio restaurante.

Na mochila para o Amapá, além da receita secreta do baião de dois “suculento e saboroso”, como gosta de salientar, ele leva também uma dose de confiança.

“A expectativa é muito boa, estou ansioso e confiante de que vou trazer a estatueta para a quebrada”

Bruno Athaíde, chef de cozinha

Segundo ele, o custo total para a viagem ficou em torno de R$ 1.600, quantia que já foi alcançada pelas vendas das marmitas. “Só de passagens são R$ 1.100”, comenta. No que depender dos clientes de Sobradinho, o chef já pode se considerar o campeão.

André Santos

Jornalista, entusiasta do carnaval, do futebol de várzea, de bares e cultivador assíduo da sua baianidade nagô! Correspondente do Jardim Fontalis desde 2017.

Republique

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias, uma organização sem fins lucrativos, tem como missão reduzir as lacunas de informação sobre as periferias da Grande São Paulo. Portanto queremos que nossas reportagens alcancem outras e novas audiências.

Se você quer saber como republicar nosso conteúdo, seja ele texto, foto, arte, vídeo, áudio, no seu meio, escreva pra gente.

Envie uma mensagem para [email protected]

Reportar erro

Quer informar a nossa redação sobre algum erro nesta matéria? Preencha o formulário abaixo.